home Sítio de Timor

http://timor.no.sapo.pt
Angola Brasil Cabo Verde Guiné-Bissau Moçambique Portugal São Tomé e Príncipe Timor-Leste
Informação Comunicação Fotos/mapas/sons Serviços O site

Dicionário prático Timor/Portugal (A a H)

  • 1: Ida
  • 2: Rua
  • 3: Tolu
  • 4: Hat
  • 5: Lima
  • 6: Nen
  • 7: Hitu
  • 8: Ualu
  • 9: Sia
  • 10: Sanulu
  • 11: Sanulu Resin Ida
  • 12: Sanulu Resin Rua
  • 19: Sanulu Resin Sia
  • 20: Rua Nulu
  • 21: Rua Nulu Resin Ida
  • 39: Tolu Nulu Resin Sia
  • 40: Hat Nulu
  • 100: Atus Ida
  • 110: Atus Ida Sanulu
  • 200: Atus Rua
  • 240: Atus Rua Hat Nulu
  • 900: Atus Sia
  • 1000: Rihun Ida
  • 7000: Rihun Hitu
  • 20000: Rihun Rua Nulu
  • 100000: Rihun Atus Ida
  • 1000000: Tokon Ida
  • Aat: Ser mau/má (v.); adj.; mal, muito (adv.); ain aat=má perna=coxo
  • Acait: O centro do Centro, em Díli: tem a Missão Portuguesa, o Centro Camões, o BNU, os CTT e o "bistrot". Curiosamente, é acrónimo de Associação Comercial Agrícola e Industrial de Timor.
  • Água: Be hemu (para consumo), udan bem (pluvial), be foer (residual). Enfim; é conveniente usar água mineral até para lavar os dentes.
  • Ai: não é o que parece; quer dizer madeira, árvore, arbusto, pau.
  • Aitarak: Um dos grupos de milícias timorenses próintegracionistas
  • Aldeia dos Macacos: Carinhoso "nickname" que designa o bairro dos professores em Díli (Vila Verde)
  • Amar: Hadomi, v.
  • Asu: Cão, cadela, s.; ou aço (s), duro (adj.)
  • Aula: uma aula em Timor é uma coisa com muito poucas semelhanças com uma aula em Portugal. São 3x45 minutos, ou seja, 2 horas e 15 minutos cada, sem intervalo. Com turmas de 50, ou 70, ou 120 (!) alunos, dá para ter uma ideia do que aquilo é. Toda a gente fala de não existirem cadeiras, secretárias, ou quadro, mas isso é o menos...
  • Austrália: O vizinho gigante; não são nada simpáticos, valha a verdade; mas, como em tudo, não é geral. A Língua é uma questão difícil
  • Ba: Ir, dirigir-se (v.); para, a (prep.); lá, mais longe, para lá (adv.)
  • Bá-Fon: Corruptilha do Francês, bas-fond. Espécie de discoteca, no Heliporto de Díli, gerido por tropa portuguesa e chilena. Barato e divertido, mais para as damas do que para os cavalheiros (o rácio chega a ser de 10 para cada uma!)
  • Bandeira: a oficial. VER
  • Baucau: Segunda cidade de Timor, a Leste de Díli; tem um aeroporto internacional
  • Bahasa: Quer dizer Língua, em Língua indonésia (bahasa indonesia, claro)
  • Barak: muito(a/os/as), (det.), bastante
  • Benvindu: Não encontro isto na bibliografia, mas um aluno meu escreveu assim, portanto vale.
  • Bibi: Cabra (1)
  • Bogoró: Localidade junto a Bazartete, onde se situa a Escola Secundária. Gente simpática e simples. A escola tem uma disciplina férrea, assumida com gosto pelos alunos. Como é tradicional, há formatura às 7:30 da manhã. Director, Sr. Leoneto Jesus Guterres.
  • Boot: Grande, adj., (Asu Boot=cão grande); part., por aglutinação, superior (biboot=irmã mais velha)
  • Búfalo: Krau. O animal mais comum. Apesar da designação e do tamanho, são mais mansos do que as nossas vacas. Extraordinário espectáculo é a matança do dito, à lançada, coma era, provavelmente, na Idade do Ferro. A carne é absolutamente intragável, de tão dura. Só com um bom picador.
  • Buraco: as estradas portuguesas, afinal, são uma maravilha; mas as estradas timorenses são mais divertidas. Buraco diz-se "Kuak" (perfeita onomatopeia)
  • Café: Para se beber o verdadeiro café timorense, é preciso ir às montanhas; no comércio local, é uma chazada a 450 paus cada. Baratinho, como o resto.
  • Câmbio: Faz-se em plena rua (apesar de ser proibido), com critérios muitíssimo fluidos
  • Cão: Asu. existem por lá muitos Asu (asu barak?), feios, magros e maus. Constituem um prato regional, mas são também apreciados porque garantem "siguransa".
  • Carro: Kareta; quase não existem matrículas, seguros ou cartas-de-condução; circula-se pela esquerda (geralmente...)
  • CATT: Comissariado de Apoio à Transição em Timor-Leste
  • Cavalo: Cuda, ou Kuda.
  • Clima: Tropical húmido. Médias: temperatura, 19º a 31º; humidade, 70% a 90%. Ver que tempo faz em Díli hoje, em Wunderground.
  • Chinês: "O" Chinês: em Díli, mistura de supermercado, drogaria, talho, mercearia, casa-de-ferragens e botequim; tem quase tudo (ver lista não-oficial)
  • CIVPOL: Corpo de Polícia Internacional; GNR e PSP têm forças integradas e próprias
  • CNRT: Conselho Nacional de Resistência Timorense
  • Comer: Han, v.; come-se mal e caro
  • Comoro: O aeroporto de Díli; para aviões de pequeno porte; deve ser parecido com o aeródromo de Bragança
  • Coral: Lindíssimos, apanham-se na praia, mas é difícil passar em Darwin com eles; recurso natural em extinção acelerada
  • Correio: Existe uma única estação dos CTT, em Díli (Edifício Acait); só aceitam USD
  • Crocodilo: Lafaek. Sim, existe em Timor esse sorridente bichinho. E existe também uma lenda sobre a crocodílica origem de Timor.
  • Cuda (ou Kuda): Cavalo timorense típico, mais pequeno do que os "nossos". (1)
  • Dader: Dia; bom-dia, dader diak
  • Darwin: A cidade mais próxima, na Austrália; os voos, a hélice, partem e chegam aqui
  • Dengue: Doença tropical ainda mais perigosa do que a malária; pode ser mortal; epidémica, acompanhada de erupção e dores articulares
  • Diak: Bom, boa, bem (subs., adj., adv.); melhor, maior, se composto com Liu
  • Disionari: Dicionário
  • Díli: A Capital do País. Com cerca de 50.000 habitantes. Ver estatísticas em World Gazeteer. Localização 8.6° S 125.6° E.
  • Dinheiro: Osan
  • Ensinar: Hanorin. Curiosamente, é foneticamente parecido com hanoin (entender, pensar)
  • Escola: Iskola
  • Escrita: Apesar de a maioria dos timorenses ser analfabeta, os que sabem escrever fazem uma espécie de transcrição fonética: kadeira, servisu, etc.
  • F: F, de letra. Por algum esotérico motivo, em Timor a letra F é praticamente igual à letra P. Temos, portanto, fropissão, ferpeito, etc. Uma pequena confusão.
  • Farmácia: Não existe uma única no território (em 2000); medicamentos, só nos hospitais
  • Festa: De certa maneira, é o ambiente mais comum entre a comunidade internacional, especialmente em Díli. Um dos problemas de Timor não é o tédio
  • Feto: Mulher, fêmea, do sexo feminino
  • Fila: Voltar, retroceder, virar, fritar, cozinhar em azeite ou banha (virando e um lado e do outro). (!!!)
  • Finta: Imposto, contribuição, tributo, finta. Será isto uma reminiscência do Português arcaico?
  • Foder: Harrummm, isto quer dizer muitos, det. reg. Cf. barak.
  • Fotos: Caríssimo, como todo o resto; mais vale ir à Austrália revelar, ou mandar o rolo para Portugal
  • Fugir: Halai, em Tétum, mas é mais importante saber como, quando, e para onde, se for necessário. Existem planos de segurança (da tropa, da Civpol e da ONUMOS)
  • Futebol: Joga bola, ou tebe bola
  • Galil: A arma (metralhadora) preferida pela tropa portuguesa em Timor. Israelita, 5,56mm
  • GNR: Este corpo de Polícia é o mais respeitado (e temido) pelos timorenses
  • Hadomi: Amar, v.
  • Hakarak: Preferir, querer, desejar, apetecer
  • Haklalak: Berrar, gritar, bradar
  • Han: Comer, v.
  • Hanoin: Pensar (e lembrar, cogitar, etc.) Hanoin e nonok foram as 2 palavras em Tétum que mais gastei em Timor.
  • Hatene: Entender, saber, conhecer. La hatene, não entendo, evidentemente; ou não sei, não conheço.
  • Hau: (Ha'u) Eu, me, mim
  • Hello Mister: O maior supermercado de Timor (em Díli, claro) (em 2000) e tb. a expressão mais típica dos miúdos: halô mista!
  • Hino: A letra do Hino oficial de Timor-Leste está AQUI. Para ouvir, click AQUI.
  • Homem: Mane. Evidentemente, o contrário (oposto) de Feto (mulher)

(1): termos sugeridos por Domingues Silva (ver correspondência de Novembro 2002)
Copyright © 2001-2003|João Pedro Graça| |mapa do site| home| |Blogger de Timor